fonte: Ministério da Saúde

Profissionais de saúde de todo o país terão um incentivo a mais para se capacitarem nas mais diversas especialidades. A partir de 1º de janeiro de 2022, a bolsa paga aos residentes médicos e residentes em área profissional da saúde passará a ser de R$ 4.106,09. A portaria interministerial que garante a ampliação do benefício foi assinada pelos ministros da Saúde, Marcelo Queiroga, e da Educação, Milton Ribeiro, e foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Atualmente, o valor mínimo para bolsas de residência é de R$ 3.330,43, bruto. A concessão do reajuste de 23,29% representa o reconhecimento por parte do Governo Federal de que a residência é uma das melhores maneiras de se especializar um profissional e que a formação continuada é essencial para a sustentabilidade e aprimoramento do Sistema Único de Saúde (SUS).

Prioridades
A formação de médicos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, dentistas e todos os outros trabalhadores da saúde é tema prioritário para o governo. Em julho, o Ministério da Saúde lançou o Plano Nacional de Fortalecimento das Residências em Saúde, com o objetivo de capacitar profissionais das 14 categorias da saúde em especial para o SUS nos âmbitos federal, estadual e municipal.

A meta é aumentar a oferta de vagas em regiões prioritárias para o SUS, de vazios assistenciais. Somente no eixo ofertas educacionais foram destinados R$ 250 milhões para concretização do plano.

Para além do reajuste, pela primeira vez os preceptores passam a receber um incentivo financeiro de R$ 1,5 mil para fomento à pesquisa no âmbito do SUS.