Na noite desta segunda-feira, dia 12, a Dra. Renata Froes, secretária da AGRJ, ministrou palestra online para mais de 20 alunos da LAMMUB, Liga Acadêmica de Morfofisiologia Médica, da Unigranrio Barra. O tema abordado foi Diagnóstico de Doença Inflamatória Intestinal.

“Fiquei feliz de contribuir para a formação de novos médicos no tocante ao diagnóstico das DII´s pois sabemos que muitos pacientes tem atraso de três anos, entre sintomas e o diagnóstico. A minha 1ª experiência foi positiva. Despertar os jovens para a Gastroenterologia é um dos papéis da AGRJ. Muitos ficaram interessados no tema”, comenta Dra. Renata.

Para a presidente da LAMMUB, Luiza Lopes Carvalho, que está no 4º período de Medicina, a iniciativa veio ao encontro do interesse crescente dos estudantes em aprofundar temas dos diversos sistemas orgânicos, principalmente através de aulas com médicos especialistas.

“O assunto de DII´s está cada vez mais sendo divulgado e debatido. Gostaríamos de uma especialista no assunto, como a Dra. Renata Fróes, para passar os seus conhecimentos aos ligantes. Além disso, sou paciente de Doença de Crohn da Dra Renata, há 8 anos, por isso, também o interesse ao abordar esse tema, e principalmente, com ela, por quem tenho muito carinho e admiração. Ela é uma das minhas grandes inspirações na Medicina”, ressalta Luiza.

A aula foi elogiada por todos os alunos, que agradeceram pela oportunidade da AGRJ:

“Dra. Renata passou o conteúdo de maneira específica e, ao mesmo tempo, clara. As principais dúvidas foram relacionadas às manifestações extra intestinais e ao acompanhamento de um paciente com DII, com uma equipe multidisciplinar. Essas e demais questões foram muito bem sanadas e abordadas na aula. A nossa intenção, em parceria com a AGRJ, foi de demonstrar aos alunos da liga e futuros médicos a importância do conhecimento das DII´s, de forma que, futuramente, todos saibam as particularidades desses pacientes, para que diagnósticos possam ser feitos mais precocemente e que condutas terapêuticas sejam tomadas corretamente, como por exemplo, medicamentos que pacientes com DII não possam administrar. O evento não poderia ser melhor”, agradece a presidente da LAMMUB.