A Associação de Gastroenterologia do Rio de Janeiro agradece a presença das cerca de 350 pessoas que estiveram no Sheraton Grand Hotel Rio & Resort nesses três dias de Gastren-Rio. Esta foi uma edição especial. A edição da saudade. Após três anos, o Gastren-Rio voltou a ser presencial e foi a oportunidade para o encontro de velhos amigos, de mestres e alunos, da gastroenterologia fluminense. E nada melhor do que neste 31º Gastren-Rio homenagear ex-presidentes da associação, o que ocorreu na tarde desta terça-feira. Mas, antes, teve muita coisa.

O dia começou com mesa-redonda Gastroduodenal, cuja moderação ficou com Dr. Paulo Rios e as apresentações foram do Dr. César Amorim (Dispepsia–novas opções de manejo e sua relação com o H. pylori), do Dr. Felipe Mota (Como o endoscopista trata hoje a hemorragia digestiva alta não varicosa),  e do Dr. Delta Madureira (O papel atual do cirurgião na úlcera péptica), seguido de discussão dos temas apresentados.

Na sequência, a Takeda realizou simpósio-satélite sobre DRGE: Avanços terapêuticos, onde estamos e para onde vamos?, com o Dr. Gerson Domingues.

Após o Gastrolanche, houve mesa-redonda de Esôfago com apresentações sobre Tratamento da acalasia, com o Dr. Márcio Carvalho Costa, Obstrução funcional da junção esofagogástricas –como conduzir?, com o Dr. Luiz Abrahão Junior, Esôfago de Barrett – como tratar?, com o Dr. Ricardo Alvariz. Dr. José Augusto Messias moderou o debate, que contou com grande participação da plateia.

Na hora do almoço a Janssen apresentou simpósio satélite sobre Simponi na RCU e Stelara na Doença de Crohn: atingindo as metas propostas no STRIDE II, com apresentação do Dr. Julio Chebli.

As atividades da tarde tiveram início com caso clínico de Doença Inflamatória Intestinal, que foi moderado pelo Dr. Carlos Frederico Porto Alegre e teve apresentações dos Drs. Hélio Rzetelna, Bernardo Junger e da Dra. Johene Pantoja.

Aí veio o momento mais emocionante do dia: devido à contribuição não só a Gastroenterologia, como a Medicina brasileira, a AGRJ homenageou quatro ex-presidentes: Drs. Edson Jurado, Silvando Barbalho, Fernando Portella e Luiz Abrahão. As placas foram entregues pelos Drs. Bernardo Junger, José Augusto Messias e Luiz Abrahão Junior, que ficou muito emocionado por poder fazer a homenagem a seu pai.

E para encerrar a 31ª edição do Gastren-Rio, houve Mesa-redonda sobre Doenças Funcionais, cuja moderação foi do Dr. Luiz Artur Juruena de Mattos e as apresentações foram sobre Pirose funcional, com a Dra. Beatriz Biccas,  Disfagia funcional, com o Dr. Moisés Copelman, e Síndrome do intestino irritável, com a Dra. Maria do Carmo Friche Passos.

Ainda houve tempo para o presidente da AGRJ anunciar os trabalhos científicos premiados. Foram eles:

1º Lugar GLOBO FARINGEO – investigação funcional Eponina Lemme
1º Lugar Pancreatite crônica, etilismo e tabagismo no Brasil: análise temporal 2009 – 2019 Pedro Baldaque
2º Lugar Estudo Comparativo de dados clínicos e de exames complementares entre pacientes portadores de tumor neuroendócrino gástrico com e sem anticorpos anticélulas parietais. Osmar Kenji Yagi
3º Lugar Análise da prevalência de úlcera duodenal e suas características em pacientes dentro do HUCFF Bernardo Dias São José

CONFIRA AS FOTOS