fonte: Ministério da Saúde

Para facilitar e tornar mais eficiente o processo seletivo de residências em saúde no Brasil, o Ministério da Saúde trabalha para unificar as provas, por meio do Exame Nacional de Residência Ebserh (ENARE). O exame é necessário para selecionar profissionais da área da saúde para programas de residência médica, multiprofissional e uniprofissional, ofertados pelas instituições participantes.

O Ministério, por meio da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), se reúniu com representantes da Ebserh e coordenadores das Comissões de Residência Médica (COREME) e das Comissões de Residência Multiprofissional em Saúde (COREMU) para discutir a unificação.

A pasta fez uma consulta às comissões sobre a possibilidade de unificação das provas de residência. Entre 20 de julho e 2 de agosto, cerca de 220 comissões participaram e mais de 60% demonstraram interesse na adesão ao exame.

O ENARE é coordenado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação. O processo seletivo funciona assim: o candidato utiliza a nota alcançada na especialidade escolhida e indica onde pretende atuar. As melhores notas se sobrepõem às menores, determinando quem ocupará as vagas pela classificação. Em seguida, o sistema disponibiliza o preenchimento das vagas ociosas e cadastros reserva.

Unificando o processo seletivo, além do benefício para o candidato ao simplificar a prova e democratizar o acesso, há também economia nos recursos públicos, baixo custo no valor das inscrições e ampliação da qualificação.

Além disso, o processo pode reduzir a ociosidade de vagas, em especial, nas regiões mais vulneráveis e contribuir para a ampliação da formação de especialistas, melhorando a cobertura e qualidade dos serviços de saúde para a população.