Dra. Ana Teresa Pugas, diretora da Comissão Científica da AGRJ, e a Dra. Renata Fróes, da Comissão Jovem Gastro da AGRJ, estiveram nesta semana na Riofarmes tendo em vista tirar dúvidas sobre as inúmeras pendências de LMEs que impactam diretamente os pacientes.

O encontro foi muito produtivo e vários progressos para obtenção de medicamentos para os pacientes com DII foram feitos, apesar de alguns itens esbarrarem no PCDT desatualizado da RCUI, que não é revisado desde 2002, e no sistema Horus, que engessa algumas solicitações. Algumas interpretações equivocadas do PCDT foram esclarecidas.

Na visita, ficou constatado que há necessidade urgente de contratação de farmacêuticos para atendimentos no balcão (triagem) para evitar interpretação equivocada pelos atendentes.

Antes, de acordo com informações apuradas pelas Dras. Ana Teresa e Renata Fróes, havia um farmacêutico e 20 bolsistas no atendimento ao público. Atualmente, só há farmacêuticos nas áreas de gestão e análise.

Mas a visita também rendeu boas notícias.

As Dras. Renata Fróes e Ana Teresa conseguiram alguns esclarecimentos e uma melhor interpretação do PCDt atual e elaboraram um passo a passo, que está sendo distribuído entre os gastroenterologistas que compõem o GEDIERJ (Grupo de Estudos de Doenças Inflamatórias do RJ), com o intuito de tentar diminuir as idas e vindas dos pacientes a Riofarmes e consultórios/ambulatórios especializados.

Quando o novo PCDT sair , um novo encontro será marcado tendo em vista ajudar numa melhor interpretação.