O presidente da Associação de Gastroenterologia do Rio de Janeiro (AGRJ), Dr. Antônio Carlos Moraes, enviou e-mail ao repórter Patrick Camporez, do jornal O Globo, que publicou neste domingo reportagem sob o título de “Faltam remédios de distribuição obrigatória”.

Confira a íntegra do e-mail:

Prezado Sr. Patrick Camporez,

Como atual presidente da Associação de Gastroenterologia do Rio de Janeiro, li com atenção sua importante reportagem sobre a crise de desabastecimento de importantes medicamentos para diversas patologias, que agrava severamente a saúde de milhares de pacientes no nosso Estado.

Aproveito para esclarecer, que o medicamento Infliximabe está indicado para as chamadas doenças inflamatórias intestinais (Retocolite Ulcerativa e Doença de Crohn) e deve ser usado para as formas moderada e grave destas doenças. 

O desabastecimento e a consequente ausência do medicamento, gera uma perigosa reação do organismo, que favorece a perda de resposta ao tratamento e suas graves consequências para os pacientes e para a sociedade civil como um todo, uma vez, que a piora destas doenças tão graves, gera aumento do absenteísmo, maior número de cirurgias e internações hospitalares. 

Outro importante ponto é a não inclusão de novas drogas no chamado rol de medicamentos e a não atualização de protocolos. O protocolo de retocolite ulcerativa data de 2002 (Retocolite Ulcerativa – Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT), publicado por meio da Portaria SAS/MS nº 861 de 04 de novembro de 2002), que se quer, inclui drogas biológicas, como o Infliximabe, já utilizado para esta doença em todo o mundo há quase duas décadas. 

É fundamental que a sociedade civil, as associações de pacientes, as sociedades médicas e a imprensa abracem esta importante causa, para ajudar milhares de pacientes que padecem destas doenças com repercussões tão graves sobre a qualidade de vida. 

Parabéns pela reportagem e, desde já, colocamo-nos ao seu inteiro dispor para maiores esclarecimentos. 

Antônio Carlos Moraes – CRM 5243606-9
Presidente da Associação de Gastroenterologia do Rio de Janeiro